Filipe Samuel Magaia é uma pequena povoação no interior do distrito da Manhiça, a 120 km da cidade de Maputo.

Desde 2012, é beneficiária do projecto de Alimentação Escolar “Comida para o saber” implementada pela ADPP Moçambique e Planet Aid em parceria com o Ministério de Educação, sob financiamento do Departamento da Agricultura dos Estados Unidos da América, USDA.

O Projecto da Alimentação escolar é composto por 7 componentes nomeadamente, Lanche Escolar; Higiene, Água e Saneamento; Construção; Reforço à leitura e escrita (Literacia); Clubes escolares; Hortas e Machambas escolares e; Educação nutricional.

Para quem visita pela primeira vez a Escola Primaria Completa (EPC) Filipe Samuel Magaia no Posto Administrativo de Xinavane facilmente ficará contagiado pelo nível de organização da mesma. Mas nem sempre foi assim.

Para Marta Seuane, directora da EPC Filipe Samuel Magaia, o contributo do projecto de Alimentação Escolar é imensurável: “A nossa escola tornou-se mais organizada graças a ADPP e seus parceiros, hoje dispomos de um sistema de água que beneficia a comunidade, a nossa escola está vedada, temos novas casas de banhos, sistema de lavagem das mãos, cozinha e armazém tudo construído pelo projecto da Alimentação Escolar.”

No domínio pedagógico, o projecto de Alimentação Escolar da ADPP, tem vindo a contribuir para elevar o número de alunos na escola através da distribuição de lanche na base de papa de soja que ao mesmo tempo estimula o aproveito escolar.” Acrescentou a directora Marta.

Para o membro do Conselho da Escola, Artur Chivalanhana, o projecto trouxe vida a comunidade de Filipe Samuel Magaia porque conseguiu unir a escola e a comunidade em prol da educação das crianças: “Aqui membros da comunidade é que preparam soja que serve de lanche para os alunos, as senhoras são voluntárias, elas fazem-no porque sabem que estão a contribuir para a educação dos seus filhos.”

“Desde que começaram a preparar a soja na escola as crianças já não faltam e nem desistem, são sempre pontuais, porque sabem que vão comer alguma coisa, algumas fazem mais de 6 Km a pé, mas a distância não lhes desmoraliza” Sublinha o Secretário do Bairro Filipe Samuel Magaia, David Nhaquile.

“Para além de ajudar na cozinha, nós como estrutura do bairro mobilizamos a comunidade para apoiar também na horta escolar, na produção de lanche alternativo para as crianças, como alface, maçaroca, mandioca e batata doce.” Acrescenta David Nhaquile.